6 de jul de 2012

Qualquer Coisa Metal




Pra início de conversa vou evitar usar o termo “preconceito” nesse texto, pois se tratando de música existe muito mimimi quando se trata de um assunto por essa estância. Um subgênero bastante evidenciado nos anos 90 e início dos anos 2000 foi o new metal, ou nu metal. Vamos por partes, primeiro que os mais trues viraram logo a cara e torceram a boca para as bandas do estilo, e por que? Instrumentos com tons diminuídos? Não, vestimentas de marcas esportivas? Não, aparência moderna dos integrantes? Não, presença de mistura rapper no som? SIM!


Tudo bem, generalizei a bagaça toda, foi um pouco de cada na verdade, dependendo do chato do ouvinte, mas as pitadas de rap, fazendo algumas vezes o estilo ser chamado de rap-metal, que causou todo o alvoroço no mundo da música. Os mais antenados sabiam que a inserção do estilo no rock não era coisa nova, e que bandas como Aerosmith, Anthrax e Faith No More já tinham feito isso há alguns anos. 


Você curte rock, mas não curte rap, é isso? Logo a banda que usa elementos deste no som é uma bela m....? Por que tudo novo que é feito por uma banda antiga e tradicional é mais bem recebido pelos fãs? Eles podem usar a abusar das misturas sonoras e as mais novas não? O mundo dos sons é muito rico pra ficar no preto e no branco não acham? Duvido muito que os milhares de fãs ensandecidos dos Raimundos da época do Hollywood Rock curtiam um forrózinho bem tocado, pois o forrocore era o estilo da banda, mais bem evidenciado no primeiro disco.


Bandas mainstream como Korn, Papa Roach, P.O.D., Disturbed e Slipknot tem discos sensacionais e interessantes em suas carreiras, sendo que esta última fez um dos melhores shows do último Rock in Rio no Brasil. Engraçado é que, quando uma banda se destaca e agrada os fãs do metal tradicional, ela logo deixa o rótulo de new/nu e ganha um death, heavy, industrial, metalcore no nome, caso do Slipknot que hoje é citado por alguns como Death Metal Tribal, faça-me o favor! 


Os 4 álbuns do Korn de 1996 a 2002 deveriam ser ouvidos com mais atenção, pois aquilo é Metal com competência ímpar. Machine Head no início da carreira era erroneamente filtrado nessa sessão, mas foi crescendo e em 2011 lançou um dos melhores discos de (thrash) metal do ano com o disco Unto the Locust. Deftones e A Day To Remember também vêem em uma crescente surpreendente. O segundo álbum do Disturbed, Believe (2002) é de estourar os tímpanos.


Ao evitar essas bandas você, fã do rock pesado ou metal, está deixando de ter conhecimento de riffs extraordinários e bem feitos, baterias que são verdadeiras explosões sonoras, baixos extremamente graves e pesados no sentido literal das palavras, fora as produções excelentes e detalhistas dos discos em geral. Deixando claro que existem bandas dentro desse gênero que são piores do que paçoca de jabá. Mas no final é tudo Metal! 


Que fique bem claro que esse texto é voltado ao fã de música boa e não aos desmiolados de cabeça fechada que só gostam daquela meia dúzia de bandas de metal extremo e do trabalho destas até o meio dos anos 80. Com esses é melhor nem perder tempo. Não vou indicar os melhores álbuns do estilo devido à vasta popularidade desses no auge do gênero.


0 comentários: