16 de jul de 2012

Jonathan Douglas Lord

09/06/1941 - 16/07/2012

Faleceu nesse dia o fundador de uma das bandas mais importantes do rock mundial, o Deep Purple, após perder a briga para o câncer, Jon Lord, exímio cavalheiro, nos deixa aos 71 anos, com um legado de respeito.

Fica a homenagem do blog ao mestre.


12 de jul de 2012

Divagações musicais


- Se o Nirvana não tivesse existido, o Smashing Pumpkins seriam a banda dos anos 90.

- O podcast do Chuck Hipolitho ficou massa, baixem no iTunes.

- OFF! é a banda de punk mais legal do momento.

- Estou redescobrindo The Cure.

- Me preparando para descobrir os britânicos do Yuck.

- O mundo redescobrindo o My Bloody Valentine.

- Descobri que não tenho nada de Elvis Costello na coleção, falha grave.

- Los Porongas ganhou o Prêmio Dynamite, na categoria "Melhor álbum de indie rock", com o segundo disco da banda.

- 40 anos de um dos discos mais importantes e legais do camaleão David Bowie, "Ziggy Stardust".

- Curto Keane, mas os últimos álbuns foram sofríveis, então o substituto é o Cloud Nothings, ouçam.

- SWU com Mastodon e Slayer? Metal is live!

- O último da Bjork não é pra qualquer um.

- Bandas tocando álbuns na íntegra, caça-níquel ou criatividade?

- Livraria Cultura vendendo biografia em espanhol do Pappo (Biografia del hombre suburbano), importante figura do rock argentino dos anos 70, tá na lista.

- Lição de casa pra quem gosta de Wilco, ouçam o disco Mermaid Avenue - The Complete Sessions, lançado esse ano.


10 de jul de 2012

Compra vinil? Algumas dicas de lojas virtuais gringas

Muita gente ainda compra vinil hoje em dia, muita mesmo, a velha história da qualidade e comparação do som a outras mídias e a volta ou nunca ida deste não vão ser levantados nessa postagem. No Brasil os melhores locais para se comprar vinil ainda é o velho e bom Mercado Livre, sebos e galerias espalhadas pelo país, destaque em especial para a galeria Nova Barão em Sampa e sua infinidade de lojas especializadas com vendedores que realmente entendem do assunto.
Galeria Nova Barão

E como nosso generoso país não nos permite comprar LPs novos aqui dentro, devido aos altos impostos cobrados pelas carinhosas autoridades competentíssimas (ler no mais alto grau de ironia), o jeito é recorrer a importação das bolachas em sites especializados e seguros. Depois de meses de procura na internet, Twitter, Instagram e outras redes sociais, e algumas visitas as lojas propriamente ditas, pude filtrar algumas boas opções de compras de LPs importados, em sua maioria novos, lançamentos e edições especiais. Existem muitas lojas no mundo que ainda vendem vinis, mas pelo preço resolvi colocar as americanas e as quais já tive boas experiências de compras.

Apesar do post ser voltado para lojas gringas, gostaria de parabenizar o belo trabalho feito por caras que acreditam na musica e lançam vinis de bandas nacionais por gravadoras ou selos independentes, e o mais legal é que o público existe e é atuante na compra dos LPs, destaques para Polysom, Laja Records, Peculio Discos, Monstro Discos, Idealshop, direto com as bandas, etc. Vamos lá:

Ebay
A maior variedade da internet em novos e usados, vendedores do mundo inteiro ofertando de raridades e "babas usuais" com preços pra lá de camaradas. Uma dica, que vale para o Mercado Livre, é procurar vendedores qualificados pelo site. Vale uma boa busca.

Amoeba

Coisa de outro mundo, a maior loja de discos que eu já vi na vida. Imagine qualquer estilo, gênero ou rótulo, lá tem, 2 andares gigantes e salas independentes forma um complexo enorme com 3 lojas nos Estados Unidos. CDs, LPs, compactos, DVDs, Blu-rays, K7s de dar água na boca. Fazem entrega pela internet.

Other Music
Charmosa loja localizada na baixa Manhattan, em Nova York. Ao contrário da Amoeba, o espaço físico da loja é pequeno, mas o conteúdo é estonteante, psicodelia iraniana, pop nigeriano, eletro húngaro, soul japonês, etc. Fora as novidades em bandas alternativas independentes americanas e mundias, e muita, muita raridade brasileira. A loja promove pocket shows com bandas locais nas suas dependências. Também entregam pela internet, no site deles, que deixa a desejar mas vale perder algumas horas de pesquisa.

Shop Radio Cast
Especializada em bandas alternativas, em sua grande maioria de variantes do punk, mas também muito rock e indie. Uma vasta variedade de vinis coloridos fazem da loja um diferencial na venda dessas bolachas limitadas. Tem uma sessão somente para os compactos lançados no Record Store Days.

Sub Pop
A gravadora que lançou o Nirvana nos anos 90 e hoje é casa do cultuado e competente Fleet Foxes. O cast da Sub Pop é bastante interessante, sempre recebendo críticas positivas dos meios especializados. 

Matador
Assim como a Sub Pop, a Matador também tem seu cast próprio, material de bandas de nome como Pavement e Sonic Youth pertencem ao famoso selo.


6 de jul de 2012

Qualquer Coisa Metal




Pra início de conversa vou evitar usar o termo “preconceito” nesse texto, pois se tratando de música existe muito mimimi quando se trata de um assunto por essa estância. Um subgênero bastante evidenciado nos anos 90 e início dos anos 2000 foi o new metal, ou nu metal. Vamos por partes, primeiro que os mais trues viraram logo a cara e torceram a boca para as bandas do estilo, e por que? Instrumentos com tons diminuídos? Não, vestimentas de marcas esportivas? Não, aparência moderna dos integrantes? Não, presença de mistura rapper no som? SIM!


Tudo bem, generalizei a bagaça toda, foi um pouco de cada na verdade, dependendo do chato do ouvinte, mas as pitadas de rap, fazendo algumas vezes o estilo ser chamado de rap-metal, que causou todo o alvoroço no mundo da música. Os mais antenados sabiam que a inserção do estilo no rock não era coisa nova, e que bandas como Aerosmith, Anthrax e Faith No More já tinham feito isso há alguns anos. 


Você curte rock, mas não curte rap, é isso? Logo a banda que usa elementos deste no som é uma bela m....? Por que tudo novo que é feito por uma banda antiga e tradicional é mais bem recebido pelos fãs? Eles podem usar a abusar das misturas sonoras e as mais novas não? O mundo dos sons é muito rico pra ficar no preto e no branco não acham? Duvido muito que os milhares de fãs ensandecidos dos Raimundos da época do Hollywood Rock curtiam um forrózinho bem tocado, pois o forrocore era o estilo da banda, mais bem evidenciado no primeiro disco.


Bandas mainstream como Korn, Papa Roach, P.O.D., Disturbed e Slipknot tem discos sensacionais e interessantes em suas carreiras, sendo que esta última fez um dos melhores shows do último Rock in Rio no Brasil. Engraçado é que, quando uma banda se destaca e agrada os fãs do metal tradicional, ela logo deixa o rótulo de new/nu e ganha um death, heavy, industrial, metalcore no nome, caso do Slipknot que hoje é citado por alguns como Death Metal Tribal, faça-me o favor! 


Os 4 álbuns do Korn de 1996 a 2002 deveriam ser ouvidos com mais atenção, pois aquilo é Metal com competência ímpar. Machine Head no início da carreira era erroneamente filtrado nessa sessão, mas foi crescendo e em 2011 lançou um dos melhores discos de (thrash) metal do ano com o disco Unto the Locust. Deftones e A Day To Remember também vêem em uma crescente surpreendente. O segundo álbum do Disturbed, Believe (2002) é de estourar os tímpanos.


Ao evitar essas bandas você, fã do rock pesado ou metal, está deixando de ter conhecimento de riffs extraordinários e bem feitos, baterias que são verdadeiras explosões sonoras, baixos extremamente graves e pesados no sentido literal das palavras, fora as produções excelentes e detalhistas dos discos em geral. Deixando claro que existem bandas dentro desse gênero que são piores do que paçoca de jabá. Mas no final é tudo Metal! 


Que fique bem claro que esse texto é voltado ao fã de música boa e não aos desmiolados de cabeça fechada que só gostam daquela meia dúzia de bandas de metal extremo e do trabalho destas até o meio dos anos 80. Com esses é melhor nem perder tempo. Não vou indicar os melhores álbuns do estilo devido à vasta popularidade desses no auge do gênero.


2 de jul de 2012

10 discos para entender o Punk 77


Quem criou o Punk? Punk é som, música ou atitude? Qual o marco zero do estilo?
Muitas perguntas pairam sobre o rótulo mais representativo das manifestações sociais do mundo da música, sabe-se que a semente foi concebida nos idos dos anos 60, mas teve seu auge na década seguinte, com vários debuts sendo lançados, de bandas que entraram pra história como marcos do estilo, tanto nos Estados Unidos, quanto na Inglaterra. Assim criou-se o Punk 77 (ano do apogeu do estilo), com álbuns simples e direto, que foram base de vários outros subgêneros, do rock ao metal. 
Agora o blog lista 10 álbuns clássicos e obrigatórios para entender o estilo.



Buzzcocks – Another Music in a Different Kitchen (1978)
Primeiro disco da banda inglesa que fez turnês conjuntas com os Sex Pistols, diferenciava pelas letras, que não falavam de revoltas, e sim de sentimentos.



Ramones - Rock to Russia (1977)
Clássicos como Rockway Beach, Sheena is a Punk Rocker, Surfin’Bird, I Don’t Care, Ramona, We’re a Happy Family e muito mais, parece mais uma coletânea da banda mais famosa do Punk Rock.


Stiff Little Fingers – Inflammable Material (1979)
Ouça esse discaço e entenda de onde vem a influência de 9 entre 10 bandas da nova geração punk e hardcore surgidas nos anos 90 até hoje.


Bad Brains - Bad Brains (1982)
Adeptos da religião rasta, esses americano são considerados os criadores do hardcore e da junção do heavy metal com punk.


Wire – Pink Flag (1977)
Sucesso de crítica mas não de público, era conhecido como um Ramones progressivo, teve seu reconhecimento com o tempo e é presença garantida nas listas dos melhores discos de punk de todos os tempos.


The Clash – London Calling (1979)
A banda mostrou que punk não era somente um estilo de músicas rápidas formadas em cima de poucos acordes, misturando ska e reggae ao punk, gravou um clássico do rock.


Patti Smith – Horses (1975)
A rainha não podia ficar de fora, o debut junto com o álbum Easter de 78 são os discos obrigatórios dessa americana que varia entre o punk e o garage rock.


Sex Pistols – Never Mind the Bollocks, Here’s the Sex Pistols (1977)
Multiplatinado disco da polêmica banda inglesa, clássicos da primeira a última faixa. Manifesto sonoro explícito.


The Damned – Damned, Damned, Damned (1977)
Com vários álbuns interessantes na discografia, o primeirão se sobressai por mostrar uma banda afiada que marcava seu nome na calçada da fama do punk.


Dead Kennedys – Fresh Fruits for Rotting Vegetables (1980)
O hino emblemático do estilo vem nesse disco, California Uber Alles, alusão a primeira estrofe do antigo hino nacional alemão.